6.10.09

Eu descuidei dos mares


O Homem-peixe

Houve um dia em que aventurei-me para dentro do mar. Fui completamente envolvido. Me vi inteiro, como a terra. E me vi refletido, como o céu, como o vento. Minhas costas eram arranhadas por suas ondas salgadas, desejadas. Fiz tremores, formei correntezas, aqueci as águas, e com o fogo da terra derreti o gelo, afastando as neves que sempre limitaram suas encostas pelo norte. Apaixonei-me pelo mar. Inspirado inicialmente nas estrelas que refletiam na superfície, deixei-me penetrar nas suas profundezas, seduzido pelo perfume de suas correntes.

Mas um dia eu descuidei das correntes. Não sei por que. Mustapha talvez tenha cansado de sonhar com os ventos incertos, e não percebeu que as correntes adversas estavam fracas. Zéfiro poderia torná-las favoráveis com uma ação firme, irreversível, surpreendente. Uma tempestade, como a primeira, porém mais calculada. Fogo. Haveria estragos. Era inevitável, mas depois que os ventos se acalmassem, todos encontraríamos os melhores caminhos.

Mas não aconteceu. Não sei quando, nem por que, adormeci. A correnteza fraca passou por perto e não senti a brisa fria. Estas minhas palavras poderiam ter feito a diferença. Elas, que sempre desestabilizaram com incêndios e ondas quentes, estavam caladas desde o último sonho de Mustapha. Tornei-me invisível numa calmaria e não dei atenção à volta forte das tais correntes adversas. Foi um vacilo. Quando acordei não ouvi mais ondas. A realidade havia se solidificado. O gelo tomou conta. Ela não gritou mais pelo fogo. A neve já cobria tudo.

E agora, este ar seco que tento respirar desesperadamente, me fere e me sangra, talvez porque ainda me veja como o homem-peixe, que ainda tem um coração incandescente, e que não consegue viver longe do mar.


(O Homem-Peixe, by Helder da Rocha)

3 comentários:

Dri disse...

Lindo.

Anônimo disse...

"Quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto do mar"

Canto de Oxum

Andrea Liette disse...

Sempre que procuro um conhecimento
que complemente minhas perguntas, encontro de algum modo, um rastro perto de você .

Acho muito grandiosa a sua colaboração. Grata.

Andréa